sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O Morro dos Ventos Uivantes, de Emilly Brontte

- A minha resposta, sr Heathcliff - repliquei -, é que o senhor não pode tentar vê-la; jamais verá, por meu intermédio. Outra cena entre o senhor e o meu patrão a mataria.
- Com a sua ajuda, isso pode ser evitado - continuou ele. - E, se houvesse o perigo de que isso acontecesse... Se ele fosse a causa de mais um sofrimento na vida dela...  Bem, eu acho que teria justificado para chegar a extremos! Gostaria que você disse suficientemente sincera para me dizer se Catherine sofreria muito com a morte dele: apenas esse medo me contém. E aí você pode ver a diferença entre os meus sentimentos e os dele: se ele estivesse no meu lugar e eu no dele, e embora eu o odiasse com todas as minhas forças, jamais teria levantado a mão contra ele. Pode mostrar-se incrédula à vontade! Eu nunca o teria expulso do convívio dela, enquanto ela o desejasse.  Tão logo visse que não mais se interessasse por ele, eu lhe arrancaria o coração e lhe beberia o sangue! Mas até então (e se você não acredita em mim é porque não me conhece), até então eu teria preferido estourar de ódio a tocar-lhe num único fio de cabelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimo

Amor "Suas palavras me cortam a pele E eu sangro Eu rasgo meus sonhos Me viro do lado,do avesso Apago meu rastro Pago o seu preço Ar...